Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Paixão por Lisboa

Espaço dedicado a memórias desta cidade

Paixão por Lisboa

Espaço dedicado a memórias desta cidade

Arco de S. Bento

Em Setembro de 1937, era fixada a zona de expropriações das propriedades de S. Bento, para o desafogo do Palácio da então Assembleia Nacional, com isso, foi ordenado o apeamento do famoso Arco de São Bento.
Palavras de Belo Redondo, jornalista, ao redigir a notícia, no "Diário de Noticias":

"O Arco de S. Bento, irmão mais novo do Arco das Amoreiras, era o complemento da grandiosa obra do aqueduto das Aguas Livres, que, por inspiração magnânima do Senhor D. João V, o brigadeiro Manuel da Maia começou e o sargento-môr Custódio Vieira concluiu. Veio porém, o moderno sistema de canalização e o Arco ficou inútil, como um tropêco ao trânsito, primeiro, e como afronta à magestade do palácio da Assembleia Nacional, depois. Houve que demoli-lo agora, por êstes dois motivos, e todos o viram apear sem saüdades. Não tinha primores de arquitectura que o impusessem, nem tradições, como a desse histórico Arco de Santo André, de que os lisboetas ainda se lembram magoadamente. Nascera em má hora, porque só muitos anos depois de concluído o aqueduto é que os frades de S. Bento consentiram que lhes expropriassem uma parte da sua cêrca para se construir o Arco. E assim, pobre e estreito, tendo dado motivo noutro tempo, a largas discussões e conflitos sôbre a utilidade da sua construção, o Arco desapareceu agora, anónimamente, como empecilho ao progresso. Já nada resta dele.
A Câmara cuidou de numerar escrupulosamente as peças que constituíam, para o erguer novamente um dia. Mas onde? Ele era o mais singelo dos monumentos erguidos à glória de D. João V - e o rei perdulário tem ainda tantos e tam valiosos que é muito natural que o Arco de S. Bento nunca mais venha a ser lembrado. As suas pedras ficarão nalguma arrecadação, até que um dia se lembrem de aplicá-las noutra coisa, útilmente..."

0001_M (3).jpg

 Arco de S. Bento, ant. 1938, foto de Eduardo Portugal, in a.f. C.M.L.

Arco da rua de São Bento e palácio de São Bento

Arco da rua de São Bento e palácio de São Bento, 1908, foto de Machado & Souza, in a.f. C.M.L.

SEC-AG-2480L.jpg

Arco de S. Bento, 1937, foto de "O SÉCULO", in Arquivo Nacional da Torre do Tombo

SEC-AG-2482L.jpg

Arco de S. Bento, 1937, foto de "O SÉCULO", in Arquivo Nacional da Torre do Tombo

SEC-AG-2481L.jpg

Arco de S. Bento, 1937, foto de "O SÉCULO", in Arquivo Nacional da Torre do Tombo

Ilustração, nº 291.jpg

"Ilustração", N.º 291, 1 de Fev.. Nesta imagem pode-se observar, que parte do muro existente anteriormente, já se encontra parcialmente demolido, e a parte do aqueduto que estava ligada ao Arco também já se encontra demolida.

Rua Correia Garção e rua de São Bento vendo-se

Rua Correia Garção e rua de São Bento vendo-se o arco de São Bento e a escadaria para a Assembleia, 1938, foto de Eduardo Portugal, in a.f. C.M.L.

Pedras provenientes da demolição do Arco de São

Pedras provenientes da demolição do Arco de São Bento colocadas no terreno onde foi o Convento das Francesinhas, 1938, foto de Eduardo Portugal, in a.f. C.M.L.

Praça de Espanha ,  Arco de São Bento, 2000, fot

Arco de São Bento na Praça de Espanha, 2000, foto de Luís Pavão, in a.f. C.M.L.

 

Mais sobre mim

foto do autor

Calendário

Março 2017

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031

Pesquisar

 

Visitante

Tradutor

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D