Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Paixão por Lisboa

Espaço dedicado a memórias desta cidade

Paixão por Lisboa

Espaço dedicado a memórias desta cidade

Casebres do Loreto

DOCUMENTO N º 9.

Representação ao Governo, pedindo a expropriação do terrreno que medêa entre o Largo das duas Igrejas

"SENHORA!- Sendo incontestavel a utilidade que resulta ao público do aformoseamento desta Cidade, para o qual a Camara Municipal muito tem concorrido, e está prompta a concorrer por todos os meios ao seu alcance, não póde por isso a mesma camara deixar de vir perante Vossa Magestade pedir as necessarias providencias, para levar a effeito um melhoramento importantíssimo.
Em frente do Largo das duas Igrejas existe um pardieiro informe, que outr'ora foi o Palacio do Marquez de Marialva, o qual tem frentes para a rua da Horta Sêcca, dita do Loreto, e travessa dos Gatos, na maior parte do qual se acham differentes barracas, não só irregulares, mas que ameaçam eminente perigo aos viandantes, principalmente a frente da rua da Horta Sêcca. Estas barracas não só existem ali contra o Prospecto da Cidade, mas tornam muito defeituoso um dos mais bellos sitios da Capital e o mais concorrido, quando é certo que naquellas imediações ha os mais bellos predios, e residem pessoas das mais abundantes dea Cidade, tornando-se por estes motivos um contraste disforme entre a bellesa e elegancia com a hediondez de taes barracas.
A Camara, pois, persuadida do interesse que Vossa Magestade, e o seu illustrado Governo tem pelo embellesamento da Capital, vem rogar-lhe que em beneficio público se Digne dar as providencias necessarias, a fim de ser expropriado o dito terreno, para serem demolidas as citadas barracas, e poder a Camara embellesar aquelle local como merece e de que tão digno se torna por estar no centro da Cidade. A Camara espera que Vossa Magestade de Dignará tomar em consideração a presente Representação, dando as providencias solicitadas.
Vossa Magestade, porém, resolverá o mais justo.
Deos Guarde a Vossa Magestade por muitos e dilatados annos, como todos havemos mister. Camara, 23 de Dezembro de 1850."
in Synopse dos principaes actos administractivos da Camara Municipal de Lisboa do anno 1850

0001_M.jpg

Antigo palácio do Marquês de Marialva em 1859; fachada sobre o largo das Duas Igrejas - desenho de Júlio de Castilho, de 1859. Foto de José Arthur Leitão Bárcia, in a.f. C.M.L.

Atlas da carta topográfica de Lisboa n 42.jpg

Atlas da carta topográfica de Lisboa, nº 42, 1856, de Filipe Folque, in A.M.L.

0001_M#1.jpg

Antigo palácio do Marquês de Marialva em 1859; fachada sobre a rua Direita do Loreto em 1859 - desenho de Júlio de Castilho, de 1859. Foto de José Arthur Leitão Bárcia, in a.f. C.M.L.

 

Real Palácio e Quinta de Belém

"Se exceptuarmos os paços da Ribeira, edificados por el-rei D. Manuel, nunca os nonarchas portuguezes tiveram residencia, verdadeiramente regia na capital dos seus estados. Proveiu isto de nem sempre estar a corte em Lisboa, porque d'antes era por vezes insalubre e apestada a cidade. D. João V, que teve grande tendencia para edificações sumptuosas, projectou fazer um palacio real, para o que, em 1719, mandou tirar uma planta exacta de Lisboa, convocando uma junta de fidalgos, padres, medicos e architectos, para discutir com elles, se o paço continuaria, mais ampliado, na Ribeira, onde estava, ou se edificaria outro em Buenos-Ayres, no ponto eminente á ribeira de Alcantara...Á vista de tão contrarios pareceres, o rei desistiu do seu intento.
Mas como D. João V não podia reinar sem trazer obras, passados poucos annos, em 1726, comprou ao conde de Aveiras, por 200 mil cruzados, o bello palacio e jardim que elle tinha no largo de Belem, para alli fazer residencia real durante o verão. Comprou depois ao conde de S. Lourenço um palacete e quinta que este possuia para o lado da calçada da Ajuda. Com estas propriedades, e mais algumas casas circunvisinhas, formou o palacio real e quinta de Belem...A frontaria deste palacio fica no fundo do antigo e espaçoso largo de Belém, que actualmente se denomina praça de D. Fernando. Olha desaffrontadamente para o Tejo, que alli tem um excelente caes mandado fazer por el-rei D. José..."
in http://hemerotecadigital.cm-lisboa.pt/Periodicos/ArquivoP/1860/TomoIII/N012/N012_item1/P2.html

Palácio de Belém, n i.jpg

Palácio de Belém, 1903, foto de Leilão Soares e Mendonça, in a.f. C.M.L.

Palácio de Belém, residência oficial do Preside

Palácio de Belém, vista para Nascente, 1903, foto de Leilão Soares e Mendonça, in a.f. C.M.L.

cc-179-a_0001_1_p24-C-R0150.jpg

http://purl.pt/3371/3/

Palácio Real de Belém.jpg

Palácio Real de Belém, foto de José Arthur Leitão Bárcia, in a.f. C.M.L.

Palácio Real de Belém, bárcia.jpg

Palácio Real de Belém, foto de José Arthur Leitão Bárcia, in a.f. C.M.L.

000.jpg

 

 Palácio Nacional de Belém,foto de Eduardo Portugal, in a.f. C.M.L.

Mais sobre mim

foto do autor

Calendário

Maio 2016

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D