Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Paixão por Lisboa

Espaço dedicado a memórias desta cidade

Paixão por Lisboa

Espaço dedicado a memórias desta cidade

O forte de Santa Apolónia

O forte de Santa Apolónia situava-se dentro da quinta do Manique (nome que lhe ficou por ter pertencido no meado do séc. XIX, ao Visconde de Manique), e a sua função era proteger o acesso a Lisboa, de um inimigo que viesse pelo lado oriental, pelas estradas de Chelas, de Sacavém e Olivais.
O facto de nunca ter sido concluído, associado ao facto de nunca ter sido utilizado em qualquer acção defensiva, talvez ajude a explicar o seu relativo desconhecimento, e consequente abandono.
Na planta apresentava-se com uma forma pentagonal, e com uma área de 8.044 metros quadrados, construido em alvenaria e com paramentos reforçados a cantaria nos seus cunhais, ficou contudo incompleta a sua construção, e hoje em dia só se encontram visíveis ruínas das suas paredes no canto Sul/Este, a base da antiga guarita situada nesse ângulo, a parede Este, a base da guarita onde termina a parede Este, e ela se desvia para o topo do pentágono a Norte, e parte dessa parede.
O forte ou baluarte de Santa Apolónia (também apelidado de bateria do Manique), fazia parte de uma linha de defesa mandada construir por decreto de 11 de Março de 1652.

* editado às 15.00Horas, do dia 11 de Março de 2021

49829301817_ca401767e3_o.jpg

Forte de Santa Apolónia, foto Biblioteca de Arte-Fundação Calouste Gulbenkian/Estúdio Mário Novais

49829302217_980903a05a_o.jpg

Forte de Santa Apolónia, foto Biblioteca de Arte-Fundação Calouste Gulbenkian/Estúdio Mário Novais

49828459393_112c27db29_o.jpg

Forte de Santa Apolónia, foto Biblioteca de Arte-Fundação Calouste Gulbenkian/Estúdio Mário Novais

49829301622_91b94b0ffe_o.jpgForte de Santa Apolónia, foto Biblioteca de Arte-Fundação Calouste Gulbenkian/Estúdio Mário Novais

49828458828_5581bbd131_o.jpgForte de Santa Apolónia, foto Biblioteca de Arte-Fundação Calouste Gulbenkian/Estúdio Mário Novais

49828458723_aaff59a7ba_o.jpgForte de Santa Apolónia, foto Biblioteca de Arte-Fundação Calouste Gulbenkian/Estúdio Mário Novais

 
O baluarte ou forte de Santa Apolónia, 1942, foto

O baluarte ou forte de Santa Apolónia, 1942, foto de Eduardo Portugal, in a.f. C.M.L.

Planta Topográfica de Lisboa 13 I, 1909, de Alber

Planta Topográfica de Lisboa 13 I, 1909, de Alberto de Sá Correia

21.jpg

 Planta  in "Dispersos" vol. I, de Augusto Vieira da Silva, a azul as ruínas actualmente existentes do Forte de Santa Apolónia

3.jpg

in "Dispersos" vol. I, de Augusto Vieira da Silva

4.jpg

in "Dispersos" vol. I, de Augusto Vieira da Silva

lxi-3496-02.jpg

Foto do sítio da C.M.L. - http://www.cm-lisboa.pt/equipamentos/equipamento/info/forte-ou-baluarte-de-santa-apolonia-restos

lxi-3496-01.jpg

 Foto do sítio da C.M.L. - http://www.cm-lisboa.pt/equipamentos/equipamento/info/forte-ou-baluarte-de-santa-apolonia-restos

 

 

4 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Calendário

Março 2021

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031

Pesquisar

 

Tradutor

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D