Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Paixão por Lisboa

Espaço dedicado a memórias desta cidade

Paixão por Lisboa

Espaço dedicado a memórias desta cidade

Liceu Passos Manuel

"Lisboa conta actualmente mais um magnifico estabelecimento publico, cujas obras se iniciaram ha mais de quinze annos, estando mesmo por muito tempo paralysadas.
Refiro-me ao Lyceu Passos Manuel, situado onde era a cerca do convento de Jesus.
Occupa 3:000 metros quadrados, as aulas são em numero de 30, e o gymnasio, a bibliotheca, obedecem em tudo ás condições da moderna hygiene.
E assim a cidade possue já dois excellentes edificios n'este genero, e ninguem dirá que o dinheiro alli dispendido se deve considerar como mal empregado."
in "Serões : revista mensal ilustrada", N.º 68 (Fev. 1911)

 

Liceu Passos Manuel, 1911, foto de Joshua Benoliel

 Liceu Passos Manuel, 1911, foto de Joshua Benoliel, in a.f. C.M.L.

"O antigo Liceu Nacional de Lisboa, depois Liceu Nacional Central e finalmente Liceu de Passos Manuel, foi o primeiro liceu português planeado de raiz a partir dos conceitos defendidos pelo modernizador do ensino público e obrigatório em Portugal, o ministro em cuja homenagem foi nomeada a instituição. A Reforma da Instrução Secundária de Passos Manuel, datada de 1836, apresentava um Plano dos Liceus Nacionais inspirado no paradigma republicano francês dos lycées, vindo substituir todas as aulas de ensino secundário dispersas pelo território por um sistema de liceus localizados nas capitais distritais do reino. O estabelecimento então instituído na capital constituiria o exemplo a utilizar em todo o país, apesar das dificuldades na implantação do modelo proposto. Ocupando provisoriamente diversos edifícios, foi instalado em definitivo apenas cerca de 20 anos após o arranque do projecto, num imóvel erguido nas antigas cercas dos Conventos dos Paulistas e de Jesus, local tradicionalmente dedicado ao ensino, ao lado da Academia das Ciências.
O primeiro plano, da autoria de José Luís Monteiro e datado de 1882, foi primeiramente alterado por Rafael da Silva e Castro em 1888 e por Rosendo Carvalheira em 1896, sendo revisto em 1907 e finalmente inaugurado em 1911. O projecto de José Luís Monteiro, de composição clássica e clara influência francesa, organizava a planta em torno de quatro pátios ou recreios interiores, garantindo a iluminação e ventilação das salas de aula. A intervenção de Rosendo Carvalheira manteve esta estrutura, com uma planta simétrica em função de cujo eixo central se articulam os diversos espaços. O seu projecto final traduz as propostas de uma comissão escolar, nomeada em 1902, conduzindo à simplificação dos processos construtivos e ao aligeiramento e modernização da estrutura com base na utilização das novas tecnologias e dos novos materiais da época, o ferro e o tijolo, bem como à adaptação do edifício às novas exigências higiénico-pedagógicas e de organização funcional dos liceus, orientadas para uma inovadora valorização dos espaços sociais e desportivos e do ensino científico e experimental. Na década de 1950 decorreram obras de conservação no edifício, e nos últimos anos a atual Escola Secundária de Liceu de Passos Manuel tem sofrido novas intervenções, conservando ainda assim a sua homogeneidade estrutural.
O Liceu Passos Manuel tornou-se uma das referências da arquitetura escolar da época, contribuindo para delinear uma cidade mais moderna e detendo papel indiscutível no contexto da educação em Portugal. O processo de concepção e construção do seu edifício monumental, bem destacado na envolvente urbana, representou sem dúvida o primeiro ensaio na formulação de uma verdadeira arquitetura de utilidade pública, funcional e racionalista, capaz de responder às necessidades logísticas e pedagógicas de um liceu urbano e às mais recentes teorias higienistas, assegurando-lhe um carácter exemplar e evidente valor patrimonial."
in http://www.patrimoniocultural.pt/pt/patrimonio/patrimonio-imovel/pesquisa-do-patrimonio/classificado-ou-em-vias-de-classificacao/geral/view/70885/

Planta Topográfica de Lisboa, 10 F, 1911, de Albe

Planta Topográfica de Lisboa, 10 F, 1911, de Alberto de Sá Correia, in A.M.L.

Planta do Liceu Central de Lisboa, atual Liceu Pas

Planta do Liceu Central de Lisboa, atual Liceu Passos Manuel, fotógrafo n/i, in a.f. C.M.L.

Dom Carlos visita as obras do Liceu Passos Manuel,

Dom Carlos visita as obras do Liceu Passos Manuel, Rozendo Carvalheira explica o projecto, Julho 1907, foto de Joshua Benoliel, in a.f. C.M.L.

Dom Carlos falando com João Franco e Malheiro Ray

Dom Carlos falando com João Franco e Malheiro Raymão, aquando da visita às obras do Liceu Passos Manuel, foto de Joshua Benoliel, in a.f. C.M.L.

Dom Carlos visita as obras do Liceu Passos Manuel.

Dom Carlos visita as obras do Liceu Passos Manuel, foto de Joshua Benoliel, in a.f. C.M.L.

João Franco, arquitecto Rozendo Carvalheira e out

João Franco, arquitecto Rozendo Carvalheira e outras individualidades, visita aos terrenos onde foi construído o liceu Passos Manuel. 1907, foto de Joshua Benoliel, in a.f. C.M.L.

Liceu Passos Manuel, obras de pavimentação em vo

Liceu Passos Manuel, obras de pavimentação em volta do edifício, 1911, foto de Joshua Benoliel, in a.f. C.M.L.

7-Obras em Lisboa, 1-autor, José Luís Monteiro


"José Luís Monteiro nasceu em Lisboa a 25 de Outubro de 1848.
Depois de concluir a instrução primária em 1859, ingressou no ensino preparatório e no ensino técnico-profissional da Real Academia das Belas Artes de Lisboa, obtendo vários prémios na área da arquitectura. Em Novembro de 1879, obteve o diploma de arquitecto da École Nationale et Spéciale des Beaux Arts de Paris, que coincidiu com a sua viagem de investigação por França, Mónaco, Itália, Suiça e Espanha. Durante este percurso, elaborou vários apontamentos, aguarelas e estudos naturalistas sobre os cenários que visitou.
Em 1886, foi nomeado consultor e superintendente do gabinete técnico da Companhia Carris de Ferro, tendo realizado a fachada para a estação do Rossio, introduzindo a utilidade tecnológica do ferro na construção portuguesa.
Projecto de construção da Avenida Almirante Reis
Em 1901, foi agraciado com o grau de cavaleiro da Ordem Nacional da Legião de Honra pelo Presidente da República Francesa.
Em 1909, ingressou na Câmara Municipal de Lisboa, com a categoria de arquitecto-chefe, tendo sido o representante da autarquia no júri do prémio Valmor de Arquitectura.
Da sua vasta obra destaca-se a realização do liceu nacional Passos Manuel em 1881, o Hotel Avenida Palace entre 1890 e 1892 e a reconstrução da Igreja dos Anjos em 1897.
Morreu em 27 de Janeiro de 1942, em Campo de Ourique, sendo sepultado no seu jazigo familiar no cemitério do Alto de São João."

in http://arquivomunicipal.cm-lisboa.pt/pt/acervo/espolios-de-arquitetura/jose-luis-monteiro/

Avenida Palace Hotel, vendo-se, também, a estaç

Avenida Palace Hotel, 1895, foto Augusto Bobone, in a.f. C.M.L.

edu port.jpg

 Estação do Rossio, foto Eduardo Portugal, in a.f. C.M.L.

edu port1.jpg

 Praça da Figueira, foto Eduardo Portugal, in a.f. C.M.L.

Igreja dos Anjos, 1911.jpg

Igreja dos Anjos, foto Joshua Benoliel, in a.f. C.M.L.

Liceu Passos Manuel,1911 foto Joshua Benoliel, in

Liceu Passos Manuel,1911 foto Joshua Benoliel, in a.f. C.M.L.

Sociedade de Geografia de Lisboa, sala de Portugal

Sociedade de Geografia de Lisboa, sala de Portugal, foto Paulo Guedes, in a.f. C.M.L.

N207_0005_branca_t0.jpg

Real Gymnasio Club Portuguez, in http://hemerotecadigital.cm-lisboa.pt/OBRAS/Ocidente/1884/N207/N207_item1/P5.html

José_Luís_Monteiro.jpg

 José Luís Monteiro, foto A.M.L.

José Luís Monteiro (1848-1942).
O percurso de formação de José Luís Monteiro é bem elucidativo do que terá sido a formação de um arquitecto à época. Com 12 anos entra para a Real Academia de Belas-Artes de Lisboa onde estuda durante 10 anos. Em 1873, com 24 anos parte para Paris, bolseiro, onde se mantém durante 5 anos, concluindo o curso nas Beaux-Arts de Paris. Segue-se o “Grand Tour”, ainda como bolseiro, uma viagem pela Europa central, e uma estadia em Itália, que percorre, demorando-se mais em Veneza, Florença e Roma. Regressa a Portugal em 1880, com 32 anos. Casa em 1884 com 36 anos. Constrói a sua casa em 1893, aos 45 anos.
Ingressa na Câmara Municipal de Lisboa, em 1880, como técnico, cargo que manterá até à sua aposentação em 1909. Em 1881 passa a reger a cadeira de Arquitectura Civil, na Academia de Belas-Artes de Lisboa, onde se manterá até 1929. Em 1902 ajuda a fundar a Sociedade dos Arquitectos Portugueses. Paralelamente mantém uma actividade de projecto que se desenvolve na área da habitação, equipamentos e turismo. Destacam-se os projectos do Chalet Biester, Sintra (188?), o Real Ginásio Club Português (1883), o Mercado central de Lisboa (1885), Sociedade de Geografia de Lisboa (1897), a Estação Central dos Caminhos-de-ferro de Lisboa, Rossio (1886-1997), Hotel Avenida Palace (1890-1892); Chalet Faial em Cascais (1896); Capela do Chalet Palmela, Cascais (1919).

in http://www.skyscrapercity.com/showthread.php?t=425569

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Calendário

Outubro 2017

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D